Por Um Novo Pacto Social – NEF

Apresentamos, a seguir, a introdução ao novo trabalho da NEF – New Economics Foundation.

FEV 17, 2015 // ESCRITO POR:
Anna Coote , chefe de Política Social

Estas são as propostas do NEF para um novo pacto social – um quadro para decidir como vamos viver juntos, o que esperamos de nossos governos e aquilo que queremos alcançar para nós mesmos e para os outros. Baseia-se nos pontos fortes no Plano Beveridge do pós-guerra, mas vai além  – porque o mundo mudou profundamente – para oferecer uma nova abordagem ousada para os desafios que enfrentamos hoje.

O novo pacto social, tem três objetivos: a justiça social, a sustentabilidade ambiental e uma distribuição mais equitativa do poder. Todos os três estão interligados e devem ser buscados em conjunto. Eles enfrentam os graves problemas contemporâneos: ampliação das desigualdades sociais, acelerando as ameaças ao ambiente natural, e a acumulação de poder pelas elites ricas.

Essas metas levam a um conjunto de objetivos, que destacam questões cruciais frequentemente ignoradas no debate majoritário. Como os objetivos, elas também estão ligadas entre si e podem reforçar-se mutuamente:

Plano para a prosperidade sem depender de crescimento econômico.
. Deslocar investimentos e ações a montante para evitar danos ao invés de apenas lidar com as consequências.
. Valorizar e fortalecer a economia do núcleo do trabalho não remunerado, a sabedoria cotidiana e as relações sociais das quais as nossas vidas dependem.
. Fortalecer os laços de solidariedade e a compreensão do quanto nós dependemos apenas uns dos outros para alcançar nossos objetivos.

As nossas propostas são parte do trabalho de NEF para construir uma nova economia que serve os interesses das pessoas e para o planeta, e não o contrário. Desafiamos a visão dominante de que a chave para o progresso é a desregulamentação dos mercados, promover a concorrência e a liberdade de escolha, e impulsionar o consumo. Oferecemos um conjunto diferente de idéias que promove o bem-estar para todos, dentro dos limites do ambiente natural, bem como formas mais inclusivas e colaborativas de tomar decisões e trabalhar em conjunto. Nosso objetivo é atender as necessidades de hoje sem comprometer a capacidade das gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades.

Para ajudar a concretizar nossas metas e objetivos, definimos algumas propostas de mudança prática. Eles não representam um plano abrangente, mas sugere um novo sentido de marcha e um conjunto diferente de prioridades – é a nossa contribuição para debates mais amplos sobre o tipo de sociedade que queremos para o futuro.

Reequilibrar tempo e trabalho:

. uma nova estratégia para o mercado industrial e de trabalho para alcançar alta qualidade e empregos sustentáveis para todos, com um papel mais forte para os trabalhadores no processo de tomada de decisão;
. uma transição gradual para horas de trabalho remunerado para todos apontando para 30 horas como o novo padrão semana de trabalho mais curtas e mais flexíveis;
. uma ofensiva contra os baixos salários para alcançar taxas de salário/hora decentes para todos;
. serviço de atendimento à infância de alta qualidade, a preços módicos, para todos que necessitem.

Liberação de recursos humanos:

. apoiar e encorajar as atividades e ativos desvalorizados e não pagos que são encontradas na vida cotidiana para além da economia formal;
. adotar como padrão os princípios de co-produção, de modo que os usuários e provedores de serviços possam trabalhar em conjunto para atender às necessidades;
. mudar a forma como os serviços públicos são comissionados para se concentrar em resultados e co-produção.

Fortalecer a segurança social:

. desenvolver serviços públicos cada vez mais diversificados, abertos e colaborativos, em detrimento dos mercados e dos fins lucrativos;
. e construir um sistema de benefícios mais ajustado, inclusivo e democrático.

Plano para um futuro sustentável:

. promover políticas eco-social, como meios de transporte alternativos e casas pré-moldadas, que ajudam a alcançar a justiça social e sustentabilidade ambiental;
. compensar os efeitos socialmente regressivos da precificação do carbono e outras políticas pró-ambientais;
. assegurar que as instituições públicas liderem o processo pelo exemplo;
. estabelecer novos meios de pré-avaliação das políticas públicas.

Baixe o arquivo PDF. Está em inglês http://www.neweconomics.org/page/-/publications/New%20Social%20Settlement_06.02.15_WEB.pdf

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s