24/7 Capitalismo Tardio e os Fins do Sono.

Cidadania & Cultura

Capitalismo Tardio e os Fins do Sono

Na nova coleção Exit, a editora Cosac Naify pergunta a grandes especialistas como entender o mundo contemporâneo. O primeiro na tentativa de desvendar a atualidade foi Jonathan Crary, com 24/7- Capitalismo tardio e os fins do sono.

Vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana: é o tempo de trabalho que a sociedade capitalista exige do homem. A falta de lógica desta necessidade coloca o próprio homem como empecilho ao acúmulo de riquezas.

Para dar um diagnóstico do mundo contemporâneo, Jonathan Crary resgata Schopenhauer, Kafka, Deleuze, Guy Debord, Hannah Arendt, Sartre, Foucault e até obras cinematográficas como Blade Runner.

Em forma de ensaio, o historiador fala de “fins do sono” como uma maneira de se acabar com ele, algo que crie um homem constantemente acordado, e como finalidades do sono, um momento em que o ser humano pode repousar e sonhar, o…

Ver o post original 252 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s