O Estado Empreendedor: Desmascarando o Mito do Setor Público vs. Setor Privadoá

Trata-se de artigo do Fernando Nogueira, do blog Cidadania & Cultura, sobre um livro de Mariana Mazzucato. Embora eu não concorde em tudo com os comentários do Fernando, o assunto é relevante e deve ser discutido. Do texto da Mariana Mazzucato fica claro que, contrário ao que propagam os lobistas em favor do mercado e contra a participação do Estado na economia, esta parcipação em P&D, por exemplo, tem sido imprescindível. Na verdade, as empresas estão evitando realizar estes investimentos, deixando-os a cargo da sociedade. Elas só chegam depois, quando os riscos são menores e as chances de lucro mais alto são maiores. Enquando isto, desviam seus recursos para recompra das próprias ações, engordando os lucros dos seus acionistas e diretores detentores de opções em ações (stock options) e de grandes bônus baseados no crescimento do valor de mercado destes grandes grupos empresariais. Para mim é óbvio que a financierização exagerada é excludente e prejudicial, aumentando a concentração de renda em nível global e trazendo bolhas financeiras no mercado de imóveis e de ações.

Cidadania & Cultura

O Estado Empreendedor Eu implico com o conceito de “financeirização” que muitos colegas heterodoxos e a própria Mariana Mazzucato se utiliza. Acho que é uma reminiscência da visão católica medieval anti-usura, que aliás já era um cinismo social na época, pois os banqueiros cristãos emprestavam com cobrança de juros e cristãos devedores inadimplentes recorriam ao antissemitismo para não pagar suas dívidas!

Sou contra todos os “discursos de ódio”, tipo anti-rentista ou anti-banqueiro, coerentemente com meu desprezo por discursos anti-comunista ou anti-petista. Acho que reflete pura ignorância e apelo à violência de quem o profere. Por isso, lamento quando meus camaradas de esquerda fazem tal discurso, reduzindo todos os problemas do capitalismo contemporâneo à “financeirização”.

Desde quando a relação de produção capitalista não se deu com o encontro do Capital-Dinheiro, acumulado previamente, com a Força-de-Trabalho livre, porque desapropriada, depois de libertada da escravidão ou da servidão feudal? O capital sempre…

Ver o post original 1.150 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s