‘O Ovo da Serpente’, por Ruy Guerra: uma crônica premonitória

diálogos essenciais

Em 3 de abril do ano passado a Carta Maior publicou uma crônica de Ruy Guerra sobre o papel dos militares e a continuidade no comportamento hostil e contrário à democracia. Um ano depois, seu texto, premonitório, está mais atual do que nunca. Infelizmente…

Por Ruy Guerra, na Carta Maior:

Um filme de Ingmar Bergman – belíssimo. Aqui, nesta crônica, a mesma metáfora.

Gosto de metáforas ou eu não gostasse de palavras, que são metáforas mortas, segundo Jorge Luiz Borges.

Há 30 anos escrevi uma crônica sobre o golpe de 1964.

Naquele momento nunca imaginei que voltaria a tocar no assunto tantos anos depois, porque pensei que as instituições militares já teriam se redimido desse momento sujo de sua história com um pedido de desculpas à nação.

Pensava, ingênuo, que essa mancha indelével na história das Forças Armadas brasileiras iria ficar circunscrita aos compêndios de História e sair…

Ver o post original 701 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s