Provocação da Polícia Federal: “que eles queiram, já é grave. Mas o pior ainda é que eles possam”, por Tatiana Roque

Sobre a condução coercitiva do reitor e vice da UFMG:

  1. É uma afronta à universidade e à sua autonomia
  2. É um ataque à memória da anistia
  3. É um requinte de crueldade nomear a operação de “esperança equilibrista”

Ou seja, uma operação da PF que resolve fazer uma provocação explícita e direcionada. Que eles queiram, já é grave. Mas o pior ainda é que eles possam.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s