A ÉTICA NEOPENTECOSTAL E O ESPÍRITO DO NEOLIBERALISMO

Por Fábio Metzger
Interessante como vejo tantos neopentecostais usando a religião sem qualquer base racional ou filosófica mais consistente.
A facilidade com que evocam o demônio à fé dos outros, colocando a imagem do “demo” como o mal absoluto é a perfeita construção do maniqueísmo mais irracional que há. Como se a própria criação do diabo não fosse a de um anjo rebelde, criado por Deus, justamente para que os humanos pudessem conviver com uma porção de si mais contestadora.
De repente, nada mais faz parte da iniciativa da pessoa, é Deus que fez, Deus que agiu assim, assado, etc. É uma espécie de magia desse ente absoluto perfeito, inatingível, que tudo pode, mas que ninguém vê.
Católicos e protestantes tradicionais tinham uma base teológica para sustentar a sua visão de Deus. Assim como Kardec e seus discípulos. Igualmente o judaísmo ou o Islã.
Os praticantes das religiões orientais, indígenas, de matrizes africanas e hinduístas desenvolveram todo um aparato lógico e sincrético para explicar os fenômenos da natureza e a harmonia dela com o ser humano.
Já os praticantes do neopentecostalismo são reféns das lideranças pessoais de seus pastores, que simplesmente “reescrevem” a história, dando a si mesmo titulações como “bispos”, “apóstolos”, “ministros”, etc., e permitem a si mesmos reinventar todo tipo de tradição religiosa conforme a sua conveniência e a demanda mercadológica.
O praticante da religião neopentecostal é, muitas vezes, um ingênuo, outras tantas, um cúmplice, e em outros momentos, realmente tão responsável quanto o seu principal mentor.
Há os que estão no vazio espiritual. Mas também existem os que sabem muito bem o que fazem, ao pactuarem com essas lideranças.
Acabar com neopentecostalismo? Claro que não. Esta é uma religião que é o espelho dos tempos atuais. É o retrato da crise do Iluminismo. Foi na transição entre o Renascimento e o Iluminismo que nasceu o Protestantismo.
Não coincidentemente, quando o Liberalismo e o Capitalismo se desenvolveram enquanto teoria filosófica e prática econômica.
Foi na transição da manufatura e do comércio se tornando atividades cada vez mais importantes, perante a agricultura de subsistência. A sociedade da Terra estava, aos poucos, sendo substituída pela sociedade do Trabalho.
E é justamente na crise do Iluminismo, que o Neopentecostalismo ganha corpo. Não coincidentemente, quando o Neoliberalismo e o Anarcocapitalismo se articulam enquanto teoria filosófica e prática econômica.
Justamente hoje, em que o mundo vive a realidade virtual, em que a manufatura e a agricultura foram totalmente financeirizadas, assim como todo e qualquer setor das sociedades mundiais, que estão informatizadas e interconectadas.
A sociedade do Trabalho vai sendo desmontada, e sendo substituída pela sociedade do Lucro.
O neopentecostalismo é, antes de tudo, uma religião da crise. Uma manifestação organizada do desespero.
Um formato socializado de indivíduos esvaziados e atomizados, enfileirados com bíblias em suas mãos, diante de lideranças carismáticas, mais preocupadas com a prática de desenvolver correntes de negócios do que propriamente desenvolver uma ética cristã.
No antigo protestantismo, era possível desenvolver-se muitos negócios entre fiéis. No entanto, a socialização primeira dizia respeito à ideia de solidariedade coletiva.
Qualquer negócio posterior seria uma consequência não forçada de muito tempo depois, justamente porque a ética do trabalho era o elemento comum dos fieis presentes.
Hoje em dia, diante do tempo acelerado que se vive, parece mais presente a ideia da ética do lucro, e esta interferindo no desejo de realizar uma leitura particular desta ou daquela linha religiosa. E o neopentecostalismo ocupa um espaço maior neste contexto.” Por Fabio Metzger

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s