Protesto nas Universidades Europeias Por Um Novo Ensino da Economia

Trata-se de uma artigo publicado no blog Cidadania&Cultura, do Fernando Nogueira da Costa, no final de 2013, e ainda muito atual. Publiquei no meu blog um texto do Galbraith, de 1972, que levanta o assunto, não em todas as dimensões discutidas hoje em dia, mas que toca em pontos fundamentais. Leia o post do Fernando, leia o meu post com o discurso de 1972 do Galbraith e tire suas próprias conclusões. Quase 43 anos se passaram desde o discurso do Galbraith e o assunto continua atual. Será necessária outra crise igual a de 2009?
Paulo Martins. dialogosessenciais.com

Blog Cidadania & Cultura

HOMO-ECONOMICUS-Adam-Smith-Karl-Marx-John-Maynard-Keynes-David-Ricardo-Veblen-Thorstein-George-Arthur-Akerlof-Herberd-Simon-Robert-Shiller

Reproduzimos abaixo a matéria publicada no Jornal dos Negócios de Portugal e já reproduzida no site CartaMaior a respeito do debate cujos documentos originais citados postamos antes neste modesto blog — Estudantes de Economia necessitam aprender mais do que Teoria Neoclássica e Manifesto Pós-Autista: Carta Aberta dos Estudantes aos Professores Responsáveis pelo Ensino de Economia. Agora, há um site do movimento Rethinking Economics, do Post-Crash Economics, um Institute for New Economic Thinking e um Post Keynesian Economics Study Group. Houve conferências como Are Economics Graduates Fit For Purpose?.

A forma como se ensina economia nas universidades é anacrônica e está “presa numa cápsula do tempo”.

Por Helena Oliveira, Jornal de Negócios (Portugal)

Adam Smith, Karl Marx, Joseph Schumpeter e John Keynes

Até aqui, poderia ser chamada como uma “revolução silenciosa”. Um pouco por todo o mundo, grupos de estudantes de Economia estão a organizar-se e a erguer a sua voz exigindo uma reforma nos…

Ver o post original 2.533 mais palavras